quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Natal 2015



A Ana do blog, nomundodatatas, organizou uma troca de postais de Natal, :http://nomundodatatas.blogspot.pt/2015/10/troca-de-natal.html, na qual participei, e foi o postal feito por ela que me calhou em sorteio.


É lindo como podem ver e feito com perfeição, das mãos da Ana tinha mesmo que ser.


Este simpático boneco de neve recém chegado,  veio fazer companhia ao pequeno presépio.
As bolinhas castanhas com folhas das quais  não sei o nome, apanhei-as numa mata perto da minha casa, assim como as cápsulas de eucalipto e os ramos verdes que estão no decantador transformado em jarra, o boneco de neve dançarino já cá mora há alguns anos.


Não podia faltar a árvore de Natal, é a mesma há mais de dez anos, assim como os enfeites, tenho a sorte de continuar a gostar de tudo.


Mais um cheirinho de Natal aqui na sala.


E todas as noites se ilumina este cantinho de Natal, para usufruir todo este mês e até ao início de 2016.

domingo, 15 de novembro de 2015

Calendário do advento

Decidi fazer este ano um calendário do advento para a princesa, apesar de ainda só ter dois anos e quatro meses, vai levá-lo para sua casa e os papás vão ter de dar-lhe uma ajuda, dependendo do que estiver em cada bolso.
Aproveitei uns pedaços de serapilheira que tinham sido cortinas num móvel de portas de vidro.


Após ter desmanchado as anteriores costuras e passado a ferro, uni os dois pedaços e apliquei uma fita para não se ver a união, como não gostei de ver só uma, decidi aplicar mais umas de modo a que os bolsos ficassem por cima.


Depois debruei as laterais com fita vermelha que cá tinha.


Comprei um  bocado de um tecido vermelho, para colocar em cima e em baixo, costurei-o de modo a poder passar algo para segurar e manter a peça direita.


Escolhi os tecidos, cortei em vinte e quatro retângulos iguais, aproveitei sobras de pano cru, coloquei forro em todos e costurei.


Fiz as dobras à volta com o ferro.


Alinhei todos os bolsos, costurei-os na serapilheira, e apliquei com cola branca, algarismos em madeira que comprei numa loja chinesa, fiz um  bolso especial para o dia 25 com feltro vermelho, como estava difícil colar os algarismos ao feltro, tive de colá-los num tecido liso que acabei por aplicar num pedaço de serapilheira.


O marido foi ao canavial aqui perto e trouxe-me umas canas que cortei à medida, com um arame furei-as e coloquei-as dentro da dobra de tecido, depois passei por dentro um cordel, para que pudesse ser pendurado.


Calendário pronto para este e outros natais, agora falta escolher o que colocar em cada bolso para uma criança desta idade, já temos ideias relacionadas com a época, montar e enfeitar a árvore, contar história, fazer desenho, fazer colagem, procurar livro escondido, fazer bolachinhas, ir ao teatro, ir ver a iluminação de natal, etc.


Entretanto, o calendário foi entregue à sua dona e ela já está a prepará-lo à sua maneira.


Gosto muito desta quadra e destes mimos de natal, não aprecio o consumismo, com exceção das lembranças para as crianças, para mim o natal é a festa da família.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Recuperada

Numa noite destas estava eu a blogar, entra a minha vizinha/comadre L., em conversa sobre bricolar, acabo por lhe mostrar as cadeiras coloridas da Val, então ela lembra-se que viu uma cadeira junto a um dos contentores aqui do bairro, fomos lá, a dita cadeira era engraçada, mas estava partida em duas, veio na mesma, pelas 11 horas da noite, cada uma de nós, com um pedaço de cadeira velha na mão, numa risota. Tenho pena de não ter fotos do antes, pois só me lembrei de postar, já o trabalho ia quase no fim.
Mas aqui vai, é esta menina. Primeiro foi colada pelo M.(marido da L.), depois ela  misturou um resto de tinta azul mais escura com branca  e pintou-a, a madeira original era assim para o amarelado.O estofo estava muito velho e porco, não podia ficar.


Então o M. cortou um pedaço de madeira com a mesma medida, e colou na madeira uma esponja que eu cá tinha, depois de a cortar com a mesma medida, a L. ainda forrou a esponja com um resto de tecido  agranfado-o.


Depois seguiu-se a escolha do tecido, no meu armário encontrá-mos uma tira que parecia estar à espera daquela cadeira., acabei por a dividir em três, costurá-la e fazer com que chegasse para o assento.


O tecido era mesmo à conta, fiz uma costura à volta de modo que pudesse lá passar um elástico de rolinho, pois gostamos que o forro saia para lavar.


Ficou assim em três pedaços, foi o melhor que se arranjou, sem ir às compras.


Aí está ele no seu melhor.


Após um trabalho a seis mãos, aqui está de maquilhagem, roupa nova e com um ar feliz.


Ainda ainda não escolheu em que local vai morar, agora ficou na entrada da L., mas livrou-se de um triste fim.

domingo, 20 de setembro de 2015

Pinturas

Tenho sempre em lista de espera algumas peças que esperam um novo visual ou uma outra utilidade. As que aqui mostro hoje, andavam por aqui há muito tempo.
Este banquinho,  trouxemos da terra do meu marido, pertencia a uma tia, não é antigo, encontram-se à venda em muitas feiras, mas gostei dele, veio substituir  um pequeno pouf que doei.


Com tinha ainda tinta azul, que tinha preparado para a última bricolage, foi mesmo com ela que o pintei, não mostro aqui, mas primeiro lixei e apliquei primário, como faço sempre. E pronto, ficou um pouco mais animado o simples banco.


Esta tábua, fazia parte de um cabide, também muito simples, que já não servia, como se vê pelos furos da parte de trás, na parte da frente, tapei os furos com massa de madeira e depois de seca, lixei, antes de pintar, as letras já as tinha há uns dois anos, comprei-as com uma ideia para elas, mas acabei por nunca a concretizar, nem sei porquê, de repente decidi utilizá-las desta maneira.


As letras, deixei ficar em branco. e a madeira pintei com a tinta azul.


A embalagem das letras, trazia dentro estes pequenos autocolantes com cola dois dois lados, que utilizei em cada letra.


Apliquei-as na madeira, que era mesmo à medida.


E aqui estão elas, por cima da lareira, mais tarde, talvez as reutilize de outra forma, por agora gosto muito de as ver assim. Duas bricolices muito fáceis, e sabe tão bem alterar algo em casa de vez em quando.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Tomatada (à minha maneira)

Depois de ler o post da Ana de http://nomundodatatas.blogspot.pt/2015/08/quando-horta-nos-da-tomatesfazemos.html, fiz a sua conserva de tomate, mas as ofertas de tomates continuam, e vários são os pratos que tenho feito que levam este ingrediente em quantidade generosa. Não sendo eu nada de especial na cozinha, procuro muitas vezes receitas nos outros blogs, mas, a tomatada já faço há muitos anos da mesma maneira. Neste prato não sei quantidades, os olhos decidem.
Faço assim,  lavo os tomates, retiro-lhes a pele, e corto-os em pedaços.


Nada se perde tudo se transforma,  todas as peles e pedaços não utilizados, separo e coloco na compostagem da vizinha, o meu contributo para a sua horta.


Depois espremo-os ligeiramente para tirar parte das grainhas e corto-os em pedaços mais pequenos.
Coloco ao lume um recipiente com azeite, cebola picada grosseiramente e dentes de alho picados, (aqui coloquei uma cebola grande e 4 dentes de alho), não coloco sal neste prato.


Deixo cozinhar.


Entretanto já piquei os coentros que adiciono no final.


Quando vejo que está apurado e ao meu gosto, é altura de deitar os ovos a escalfar.


Cozinhando os ovos.


E aqui está, já polvilhada com os coentros.


Soube-nos muito bem esta tomatada, apenas acompanhada de fatias de pão.
Aqui deixo uma das maneiras de fazer tomatada, espero que gostem.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Almofada

Ao ler o post da Val, http://lavionrosedeco.blogspot.pt/2015/07/usar-as-ourelas-dos-tecidos.html, fiquei apaixonada pela sua almofada, serviu-me de inspiração para aproveitar uma capa de almofada sem qualquer graça que já não utilizava, e alguns dos retalhinhos que costumo juntar.


Selecionei alguns e fiz o ensaio.


Costurei as tiras umas ás outras.


Depois de fazer a dobra em  volta com o ferro, apliquei-as com alfinetes.


E finamente costurei o quadrado de retalhos na capa da almofada.


Depois de lhe colocar o enchimento, o resultado foi este.


Não chega nem de perto nem de longe à almofada feita pela Val, mas estou muito contente com esta minha almofadinha. Obrigada Val pela inspiração.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Quartinho

Recentemente a filhota, com a minha ajuda e não só, deu uma nova cara ao quartinho da bebé que brevemente fará dois aninhos. Este foi o quarto que se preparou para esperar a princesa, a colcha com retalhos, a pintura dos puxadores, as bolinhas no dossel e almofadas, foram obra minha, a pintura dos móveis ficou a cargo do avô paterno.


 Colcha de renda feita pela bisavó, minha sogra.


Cadeira de baloiço oferecida por uma amiga, e mais uma colcha em lã feita pela bisavó.


O berço  fornecido por uma amiga,  pertenceu aos seus dois filhos, hoje um com 22 e outro com 12 anos. Mas o berço logo foi transferido para o quarto dos papás, onde ainda permanece.


Agora pareceu-nos que o quarto que é pequeno, estava muito atafulhado, e a princesa, quase com dois anos,  precisava de espaço para si, e assim foi. Todas as peças de mobiliário saíram do quarto. Optou-se por pedir ao nosso carpinteiro de sempre, que fizesse uma cama em madeira, tipo estrado, bem baixinha, para que a princesa pudesse subir e descer à vontade.


Fez também um roupeiro de parede, com a arrumação necessária, pois já não haveria cómoda.


Os puxadores, utilizámos os da antiga cómoda.



Muitos dos brinquedos e livros, foram habitar no sótão que é o escritório da casa, para que de vez em quando haja rotatividade, e assim terá sempre novidades.
Reservámos uma parede para as brincadeiras, de modo que ficassem  acessíveis à pequena habitante.
As prateleiras foram compradas e cortadas na medida pretendida no Leroy Merlin, e pintadas por mim. A cozinha comprada no olx, apenas lhe fiz uma cortina com restinhos de tecido. A cama de bonecas era da mamã.. Mesa, cadeira, estantes de gavetas e iluminação vieram do Ikeia.


As cortinas são as que retirei no meu quarto, quando as troquei pelas de renda. Eram brancas e simples,   apenas as cortei em altura e apliquei esta barra de um tecido que tinha sido comprado para outro fim e nunca foi utilizado.


Ficaram assim.


Nesta moldura, foi colocado um trabalho feito pelo avô (pai do papá), que é um pintor de mão cheia.


Nesta moldura, a família lá de casa, trabalho feito por Ana Madragoa, se não conhecem, vale a pena espreitar os seus trabalhos e a pessoa que ela é, tem este blog ,  http://anamadragoakids.blogspot.pt/., e outros, também está no facebook.



Ainda houve lugar para esta rena, depois de pintada.


A almofada dos botões, foi uma adaptação que fiz, com um pano de loiça do Ikeia, a do canto tem uma ratinha pintada à mão com saia de tule e pertence a um conjunto de lençóis, feito por uma amiga da avó (mãe do papá).


Com um espaço um pouco reduzido ficámos felizes com o que se conseguiu.


A princesa adorou, convida toda a gente para lá entrar e brincar com ela.